Psicanalise

Consultorio de Especialidades
Dr. Angelo Moreira

+55 (16) 3041.0509

dragelopsi@hotmail.com

Marcar consulta
Consultorio de Especialidades Dr. Angelo Moreira

Neuropsicologia

Neuropsicologia é uma ciência do século XX, mas nascida da convergência de duas ciências antigas que são a Neurologia e a Psicologia, com o objetivo de estudar as modificações comportamentais resultantes de lesão cerebral.

Em 1878 o neurologista (cirurgião e antropólogo) francês, Paul Pierre Broca (1824-1880) observou que, na superfície medial do cérebro dos mamíferos, existe uma região constituída por núcleos e células cinzentas (neurônios) a qual ele deu o nome de lobo límbico, formando uma espécie de borda ao redor do tronco encefálico. Broca ficou conhecido e tornou se uma figura de destaque na história da Medicina e das neurociências pela descoberta do centro da fala, atualmente conhecido como área de broca.

Atualmente muitas pessoas associam a neuropsicologia com testes e equipamentos de medição do cérebro em processo de desempenho de funções (processando informações, executando tarefas, etc.) para alcançar precisão no diagnóstico e nos tratamentos. Mais a Neuropsicologia vai muito além disso! Atua no diagnóstico, no acompanhamento, no tratamento e na pesquisa da Cognição, das emoções, da personalidade e do comportamento, sob o enfoque da relação entre estes aspectos e o funcionamento cerebral. Utiliza se para isso conhecimentos teóricos angariados pelas neurociências e pela pratica clínica, com metodologia estabelecida experimental ou clinicamente. Utiliza instrumentos metodologia especificamente padronizados para avaliações das funções neuropsicológicas envolvendo principalmente habilidades de atenção, percepção, linguagem, raciocínio, abstração, memoria, aprendizagem, habilidades acadêmicas, processamento de informação, viso construção, afeto, funções motoras e executivas.

Conforme um texto de Luciane Simonetti neuropsicóloga, na página Ciência do cérebro intitulada de Avaliação Neuropsicológica: por quê e para quê? Ela relata muito bem que quem trabalha com avaliação sabe que os testes são apenas ferramentas que ajudam a entender um quadro clínico naquele momento específico, como uma fotografia daquele momento do funcionamento cerebral do sujeito. E sabem, creio eu, que existem outras formas de avaliar que não seja com o uso de testes apenas. Nossa observação é um excelente crivo que podemos utilizar diante de um paciente e então, se não existem tantos testes assim para que serve a avaliação? E por que ela é importante? Em primeiro lugar, ela diz que sim, a avaliação é extremamente importante, mas a prática limitada apenas a entender o funcionamento do paciente, o grau de comprometimento e a elaboração de um relatório, de nada auxilia esse sujeito se NADA for feito DEPOIS. Portanto, a avaliação neuropsicológica tem a função de, além destas já apontadas, auxiliar na elaboração de um plano de intervenção, que é o que se chama de Reabilitação Neuropsicológica onde se oferece o maior suporte que puder, minimizando, diminuindo, compensando os déficits e prejuízos causados por um acidente cerebral. O objetivo de ouro é entender o funcionamento dos pacientes em situações da vida real, e para isso, não precisa apenas de testes, mas sim de um olhar voltado para como eles realizam suas atividades e tarefas diariamente: o que está difícil, o que naquele momento não é possível de se fazer, que suporte ele precisa, quem irá monitorá-lo? Entende se essa a melhor definição, estudar as relações das funções neurais e psicológicas utilizando a palavra-chave: Qual área especifica do cérebro controla ou media as funções psicológicas? Utilizando como método o estudo do comportamento ou mudanças cognitivas que acompanham lesões em parte especifica do cérebro.

De acordo com os estudos das neurociências, os processos de aprendizagem modelam o cérebro através das sinapses produzidas pelos neurônios. Eles dissolvem conexões pouco utilizadas ou fortalecem as ativas de uso frequente. Até idade avançada, sinapses serão fortalecidas ou enfraquecidas por novos estímulos, experiencias, pensamentos e ações.

A especialização em neuropsicologia bem como a neuropsicopedagogia são estudos sem fim, pois requer sempre aprofundamento nos conteúdos que se seguem, a crença de que cada ser é único, especial e merecedor de nossa atenção.